NACPC no Diário Oficial de Salvador
 

Integração com o NACPC promove a inclusão de mais de 200 alunos com PC na rede pública
Além da atenção aos alunos da Escola Municipal Dr. Fernando Montanha Pondé presta apoio às mais de 400 escolas integrantes da rede municipal de ensino.

30 MUNICIPIO
DiÁRIO OFICIAL DO

SALVADOR – BAHIA
TERÇA-FEIRA
30 DE OUTUBRO DE 2012
ANO XXV – NO 5.725

Com cerca de 40 mil novos casos a cada ano, a paralisia cerebral atinge muitas famílias no Brasil. Em Salvador, somente o Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral (NACPC) atende a uma média de 400 crianças, sendo referência nas ações de saúde, educação e inclusão de pessoas com necessidades especiais. Por conta disso, a área educacional do NACPC passou, desde 2003, a integrar a Rede Municipal de Ensino, um reconhecimento da Prefeitura do Salvador à qualidade do trabalho desenvolvido.

Com funcionamento na sede do NACPC, a Escola Municipal Dr. Fernando Montanha Pond[e tem como foco a inserção das crianças com para lisia cerebral às atividades convencionais de escolarização. “Isso porque entendemos que frequentar a escola regular é um direito dessas crianças. Aqui, além de oferecer todo o conteúdo disciplinar, nós orientamos tanto o aluno quanto sua família sobre a importância desta inclusão”, afirmou Simone Bonfim, diretora da escola.

Atualmente, cerca de 200 alunos, oriundos da unidade, já estão inseridos em escolas convencionais da rede municipal. “Uma vitória dessas crianças e de suas famílias que compreenderam ser perfeitamente possível que o aluno com paralisia cerebral possa aprender através do ensino regular”, acrescentou Bonfim.

Conforme a coordenadora-geral do NACPC, Daniela Caribé, mesmo as crianças já inseridas em outras escolas,continuam a ser atendidas pela entidade. “No horário oposto ao das aulas, esses alunos contam com toda a assistência do nosso Programa de Saúde que, além do atendimento médico especializado, envolve fisioterapia, hidroterapia, fonoaudiologia, nutrição e psicologia”, afirmou.

Além da atenção contínua aos alunos da Escola Municipal Dr. Fernando Montanha Pond[E, o NACPC presta também apoio às mais de 400 escolas integrantes da rede municipal de ensino, o que reforça o programa de inclusão adotado pela Secretaria Municipal da Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secult). “Contamos com uma equipe de psicopedagogas, atuando no sentido de orientar os profissionais, de modo a vencer as barreiras que acabam limitando o acesso dessas crianças ao ensino”, completou Caribé.

EVOLUÇÃO

Quando o seu filho Paulo Henrique Gonçalves nasceu, há 15 anos, a dona de casa Maria Marlene do Carmo, 46, pensou que jamais matricularia o menino em uma escola. “Quan do soube que ele tinha paralisia cerebral, achei que a rotina dele seria completamente diferente das outras crianças. A matrícula em uma escola nem passava pela minha cabeça”, disse. A dona de casa mudou de ideia após conhecer a NACPC e, consequentemente, a Escola Municipal Dr. Fernando Montanha Ponde. “Foi uma alegria saber que ele poderia frequentar a escola. Desde que o matriculei, em 2008, ele já evoluiu bastante e sempre tem aprendido coisas novas”, contou.
Fundado em março de 2001, o Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral é uma entidade sem fins lucrativos, que tem como missão realizar ações voltadas ao desenvolvimento da neurociência, visando à inclusão das crianças com deficiência e suas famílias.

30 MUNICIPIO
DiÁRIO OFICIAL DO

SALVADOR – BAHIA
TERÇA-FEIRA, 30 DE OUTUBRO DE 2012
ANO XXV – NO 5.725

 
< voltar >
 
 
Todos os textos e imagens apresentadas nesta Home Page pertencem ao acervo do Núcleo da Criança com Paralisia Cerebral, e, portanto, ficam proibidas a cópia do conteúdo textual e/ou utilização de imagens sem autorização formal da Organização NACPC. Esta solicitação respalda-se na Lei de Direitos Autorais No 9.610,
de 19 de fevereiro de 1998, da Constituição Brasileira.