O nascimento de uma criança com necessidades especiais, muitas vezes desestrutura toda família. Como forma de conviver com a realidade, a psique se utiliza de mecanismos numa tentativa de manter o equilíbrio, e dentre estes estão os mecanismos de defesa. Segundo Freud, diante de uma realidade, ou se lida diretamente com a situação enfrentando-a, resolvendo os problemas, tentando superar os obstáculos ou se foge daquilo que representa uma ameaça e se nega a realidade.

Os mecanismos de defesa são utilizados por indivíduos saudáveis psiquicamente, mas se utilizados em excesso podem ser indicativos de sintomas neuróticos e até mesmo psicóticos.

É, portanto, necessário se cuidar dessas famílias e permitir que tenham um momento para compartilhar seus medos, traumas, inseguranças, que falem dos seus desejos não realizados, que os seus sentimentos sejam livremente expressos, elaborados e reelaborados, que tenham um espaço para que essa energia psíquica possa fluir e ajudar no entendimento e resolução de conflitos, oportunizar uma postura reflexiva positiva, a conscientização, a busca de uma melhor qualidade de vida, do autoconhecimento, da auto-estima, da valorização pessoal, visando também dessa forma otimizar os resultados do trabalho multidisciplinar com as crianças, para que se tornem parceiras de todo o trabalho desenvolvido.

Sabe-se que a autoconfiança se desenvolve desde cedo, no seio da família e isso é de suma importância para todo o sucesso do ser humano, pois o ambiente sócio-familiar vai influenciar sua forma de agir, de ser, determinando o seu desempenho emocional, escolar e social.

Trabalhar com a criança subentende-se que se deve trabalhar concomitantemente o seu núcleo familiar. É preciso sensibilizar a família, para que esta atente não somente para as condições ambientais físicas que envolvem a criança, mas também para o ambiente emocional, enfim seu contexto biopsicossocial, para a importância do cuidado com cada momento do desenvolvimento e descobertas da criança. Família integrada significa crianças mais funcionais, felizes, autoconfiantes e mais integradas à sociedade.

No NACPC não só as crianças têm atendimentos, também trabalhamos com suas famílias, pois a inclusão inicia-se nela. O processo de socialização da família da criança com paralisia cerebral é parte fundamental do desenvolvimento da criança com múltiplas deficiências.
Portanto, é necessário o envolvimento da família no processo de habilitação/reabilitação da criança. Para tanto, a família deve sentir-se amparada, recebendo o apoio e suporte necessários. Enquanto seus filhos estão na Escola Transitória ou nos atendimentos individuais de saúde os familiares estão participando do Núcleo Familiar. Além dos atendimentos as famílias participam do Programa de Palestras onde profissionais da área de saúde expõem temas como Paralisia Cerebral, Prevenção e Saúde da Mulher, Prevenção na Odontologia entre outros.

No Núcleo Familiar as famílias recebem atendimentos de:

• música
• informática
• hidroginástica
• vivências psico-corporais e psicologia
• aulas de relaxamento e alongamento
• oficinas de artesanato
• oficinas de culinária
• oficinas de material reciclado
 
>> Confira a Galeria de Fotos
 
Todos os textos e imagens apresentadas nesta Home Page pertencem ao acervo do Núcleo da Criança com Paralisia Cerebral, e, portanto, ficam proibidas a cópia do conteúdo textual e/ou utilização de imagens sem autorização formal da Organização NACPC. Esta solicitação respalda-se na Lei de Direitos Autorais No 9.610,
de 19 de fevereiro de 1998, da Constituição Brasileira.